Siga o observatório nas redes socias!!!

Geografia Cultural

A geografia cultural nasceu no fim do século XIX, no mesmo momento que a geografia humana. Para alguns geógrafos, ela aparecia como uma outra formulação da geografia humana. Para outros, ela se interessava pela cultura material dos grupos humanos: as suas ferramentas, as suas casas, a sua maneira de cultivar os campos ou de criar animais. O seu desenvolvimento permanecia lento até os anos setenta. Depois, o seu caráter mudou. Doravante, o interesse maior é pelas imagens mentais, as representações, o simbolismo, as identidades. Nos anos 1990, começamos a falar da virada cultural da disciplina. Neste trabalho será apresentado um sumário dessa evolução e esboçado um balanço deste campo de pesquisa.

Áreas de estudo da Geografia Cultural

As áreas de estudo da geografia cultural são muito amplas. Entre os muitos tópicos aplicáveis a este campo de estudo estão:
·         Globalização- que tem sido teorizada como explicação para a convergência cultural.

·         Ocidentalização- ou outros processos semelhantes como modernização, americanização, islamização e outros.
·         Teorias da hegemonia cultural ou assimilação cultural através do imperalismo cultural.

·         Diferenciação cultural das áreas, como um estudo das diferenças no modo de vida englobando ideias, comportamentos, linguagens, práticas, instituições e estruturas do poder e toda uma gama de práticas culturais
nas áreas geográficas.

·         Estudo das paisagens culturais.
·         Outros tópicos incluem espírito de lugar, colonialismo, pós-colonialismo, internacionalismo, imigração, emigração e ecoturismo.
Atualmente, pode-se pensar na Geografia Cultural como sendo aquela que considera os sentimentos e as idéias de um grupo ou povo sobre o espaço a partir da experiência vivida. É uma geografia do lugar. Sua relevância será estabelecida a medida que as referências culturais determinem as acções da sociedade sobre a natureza..

Nova geografia cultural

Desde os anos 80, a “nova geografia cultural” emergiu, trazendo diversas tradições teóricas, incluindo o modelos politos-economicos Marxistas, a teoria feminista, a teoria pós-colonialista, o pós-estruturalismo e a psicanálise .
Partindo particularmente das teorias de Michel Foucault e da performatividade, do meio acadêmico ocidental e das mais diversas influências da teoria pós-colonialista, houve um grande esforço para desconstruir a cultura para revelar as várias relações de poder. Áreas de particular interesse são a identidade política e a construção da identidade.
Exemplos de áreas de estudo incluem:
·         Geografia feminista;
·         Geografia infantil;
·         Algumas partes da Geografia turística;
·         Geografia comportamental;
·         Sexualidade e espaço;
·         Alguns desenvolvimentos recentes da Geografia política.
Alguns que trataram sobre a “nova geografia cultural” focaram sua atenção na crítica de algumas de suas idéias, por causa das visões sobre a identidade e espaço como estáticos. Seguiram-se às críticas de Foulcault feitas por outros teóricos pós-estruturalistas como Michel de Certeau e Gilles Deleuze. Nesta área, a geografia não-representacional e a pesquisa da mobilidade populacional dominaram. Outros tentaram incorporar estas críticas de volta à nova geografia cultural.



Referências

 Jordan-Bychkov, Terry G.; Domosh, Mona; Rowntree, Lester. The human mosaic: a thematic introduction to cultural geography. New York: HarperCollinsCollegePublishers, 1994. ISBN 978-0-06-500731-2
 Zelinsky, Wilbur (2004). "Globalization Reconsidered: The Historical Geography of Modern Western Male Attire". Journal of Cultural Geography Vol. 22.
 Debres, Karen. (2005). "Burgers for Britain: A Cultural Geography of McDonald's UK". Journal of Cultural Geography Vol. 22.
 Jones, Richard C.; 2006; Cultural Diversity in a “Bi-Cultural” City: Factors in the Location of Ancestry Groups in San Antonio; Journal of Cultural Geography
 Sinha, Amita; 2006; Cultural Landscape of Pavagadh: The Abode of Mother Goddess Kalika; Journal of Cultural Geography
 Kuhlken, Robert; 2002; Intensive Agricultural Landscapes of Oceania; Journal of Cultural Geography


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Política de moderação de comentários:
O autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.