Siga o observatório nas redes socias!!!

quinta-feira, 31 de julho de 2014

PROPRIEDADES E ATRIBUTOS FÍSICOS DO SOLO

TEXTURA DO SOLO 

O solo é constituído de partículas minerais de diferentes tamanhos (frações granulométricas). A textura do solo corresponde à proporção relativa das frações granulométricas existentes em um solo. Ou seja, o quanto se tem de areia, silte e argila em uma amostra de solo.
Segundo LEPSCH (2002), quando se separam os constituintes minerais unitários dos pequenos torrões, verifica-se que o solo é constituído de um conjunto de partículas individuais que estão,em condições naturais, ligadas umas às outras. Essas têm tamanhos bastante variados: algumas são suficientemente grandes para observação a olho nu, outras podem ser vistas com o auxílio de lentes de bolso ou microscópio comum, enquanto as restantes podem ser observadas com o auxílio de microscópio eletrônico.
Já de acordo com EMBRAPA (2003), a textura do solo corresponde à proporção relativa em que se encontram os diferentes tamanhos de  partículas, em determinada massa de solo. Refere-se, especificamente, às proporções relativas das partículas ou frações de areia, silte e argila na terra fina seca  ao ar (TFSA). Consiste na propriedade física do solo que menos sofre alteração ao longo do tempo. Possui tamanha relevância na irrigação pois tem influência direta na taxa de infiltração de água, na aeração, na capacidade de retenção de água, na nutrição, como também na aderência ou força de coesão nas partículas do solo.  Os teores de areia, silte e argila no solo influem diretamente no ponto de aderência aos implementos de preparo do solo e plantio, facilitando ou dificultando o trabalho das máquinas. Influi também, na escolha do método de irrigação a ser utilizado.

Textura do solo – areia, argila e silte
Para simplificar as análises, principalmente em relação às práticas de manejo, os solos são agrupados em três classes de textura:
  • Solos de Textura Arenosa (Solos Leves) – Possuem teores de areia superiores a 70% e o de argila inferior a 15%; são permeáveis, leves, de baixa capacidade de retenção de água e de baixo teor de matéria orgânica. Altamente susceptíveis à erosão, necessitando de cuidados especiais na reposição de matéria orgânica, no preparo do solo e nas práticas conservacionistas. São limitantes ao método de irrigação por sulcos, devido à baixa capacidade de retenção de água o que ocasiona uma alta taxa de infiltração de água no solo e conseqüentemente elevadas perdas por percolação;
  • Solos de Textura Média (Solos Médios) – São solos que apresentam certo equilíbrio entre os teores de areia, silte e argila. Normalmente, apresentam boa drenagem, boa capacidade de retenção de água e índice médio de erodibilidade. Portanto, não necessitam de cuidados especiais, adequando-se a todos os métodos de irrigação;
  • Solos de Textura Argilosa (Solos Pesados) – São solos com teores de argila superiores a 35%. Possuem baixa permeabilidade e alta capacidade de retenção de água. Esses solos apresentam maior força de coesão entre as partículas, o que além de dificultar a penetração, facilita a aderência do solo aos implementos, dificultando os trabalhos de mecanização. Embora sejam mais resistentes à erosão, são altamente susceptíveis à compactação, o que merece cuidados especiais no seu preparo, principalmente no que diz respeito ao teor de umidade, no qual o solo deve estar com consistência friável. Apresentam restrições para o uso da irrigação por aspersão quando a velocidade de infiltração básica for muito baixa (EMBRAPA, 2003).
Sistema de Atterberg :

GRUPAMENTO TEXTURAL:

TRIÂNGULO DE GRUPAMENTO TEXTURAL:

Vale dizer que a textura constitui um dos atributos físicos mais importantes do solo, pois possui a capacidade de influenciar a maioria das propriedades físicas e químicas.
  • Variações físicas: aeração, infiltração, drenagem e retenção de água, consistência, etc;
  • Variações químicas: CTC, fixação de P, absorção de água e nutrientes, etc;
Como há de se verificar, a textura pode variar ou não ao longo do perfil.  Sua compreensão é importante, pois há implicações diretas no manejo dos solos. É relevante também para fins de classificação de solos. Solos com texturas variáveis são denominados de textura binária. Exemplo: textura média/argilosa. Solos com textura binária têm maior vulnerabilidade à erosão.
Mudança textural abrupta ocorre normalmente em solos com horizonte B textural sobreposto ao A ou E;
  • Relação silte (%) e argila (%): Quanto menor a relação, mais intemperizado e mais desenvolvido é o solo em questão.
Influência da Textura:

Solos arenosos: são mais leves para preparo, com menor capacidade de retenção de água; bem drenados; elevada suscetibilidade à erosão.

Solo argiloso
Solos argilosos: são mais pesados para o preparo e tem elevada retenção de água e menor suscetibilidade à erosão;

Solo Siltoso
Solos com elevada % de silte:  elevada suscetibilidade à formação de encrostamento superficial, ocorrendo a diminuição da infiltração e dificuldade de emergência de plântulas.  Exemplo: Latossolo do Cerrado;

Referências Bibliográficas:
- TEIXEIRA, Wilson. FAIRCHILD, Thomas Rich. TOLEDO, M. Cristina Motta de. TAIOLI, Fabio. Decifrando a Terra – 2a edição. Companhia Editora Nacional. São Paulo. 2009.
- LEPSCH, Igo F. Formação e Conservação Dos Solos. Ofina de Textos. São Paulo. 2002.
- EMBRAPA. Cultivo de Algodão Irrigado. 2003. Disponível em: <http://sistemasdeproducao.cnptia.embrapa.br/FontesHTML/Algodao/AlgodaoIrrigado/solos.htm&gt;.

Um comentário:

Política de moderação de comentários:
O autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.