Navegando na História

quinta-feira, 15 de junho de 2017

A ORIGEM DAS FESTAS JUNINAS

Olá, observadores! Hoje iremos conhecer um pouco da origem de uma das festividades regionais mais tradicionais do Brasil que se enraizou principalmente no Nordeste brasileiro. As festas juninas são caracterizadas pela diversidade de comidas a base de milho; pela explosão multicor dos fogos de artifício, assim como pela beleza das quadrilhas juninas.
Num período em que as temperaturas estão relativamente baixas e as chuvas já pintaram de verde a paisagem da região, os nordestinos dedicam essas festividades do mês de junho a Santo Antônio (dia 13), São João ( dia 24)  e São Pedro (dia 29) acendendo fogueiras¹ em sua homenagem. No entanto, muito dessa tradição vem passando por um processo de renovação que ainda não sabemos, até que ponto ela resistirá.


Mas, afinal... Qual a origem das festas juninas?
Para respondermos a esta pergunta temos que voltar no tempo, até antes do surgimento do próprio cristianismo. Acredita-se que tudo tenha começado com a comemoração do solstício de verão no hemisfério norte em celebrações pagãs. Acredito que vocês já devam ter ouvido o termo “festa da colheita”, pois bem, muitos desses povos pediam a suas divindades uma boa colheita ou se estendiam a rituais de fertilidade no mês de junho.
Com a expansão do cristianismo, muito desses rituais/celebrações foram absorvidos e (re) significados pela igreja e com a colonização de novas terras pelos europeus, essas tradições foram incorporadas nas colônias como fora o caso do Brasil. Aqui, elas ganharam elementos que ajudaram a moldá-la como a conhecemos hoje.

A tradição das quadrilhas juninas
Embora as quadrilhas juninas possua um caráter interiorano, foi na iluminada Paris (no século XVIII) que ela surgiu. Na França ela tinha um caráter aristocrático dançada nos salões pela elite. Quando finalmente chegou ao Brasil ela caiu no gosto popular e se transformou no que conhecemos hoje repleta de simbolismos que retrata o estilo “caipira” de vida.
As maiores festas juninas do Brasil
Quando se trata de festa junina, o interior dos estados nordestinos realizam as maiores e talvez as mais “badaladas” festas de todas. Conhecidas em todo o Brasil, as festas juninas de Campina Grande – PB e Caruaru – PE disputam o titulo de maior São João do mundo. São 30 dias de festas que atraem turistas de todo o país que, além de dançar forró no parque do povo em CG - PB e pátio do forró em PE, visitam feiras de artesanatos em madeira, couro, estopa entre outros. Em Campina Grande, os turistas tem a oportunidade de embarcar no trem do forró numa viagem de duas horas dançando forró até um distrito do município entre outras atrações.
E vocês? Já foram a uma festa junina? O que acharam? Deixe um comentário J

__________________________________
¹AS FOGUEIRAS - tradição que quase não existe nas áreas urbanas em decorrência da fiscalização do corte ilegal de árvores, como também pelo receio da violência)

PESQUISA E FINALIZAÇÃO TEXTUAL
RONALDO OLIVEIRA – GRADUADO EM GEOGRAFIA
   
Leia Mais ►

quarta-feira, 14 de junho de 2017

ASPECTOS HISTÓRICOS E GEOGRÁFICOS DA AMÉRICA PLATINA

Olá observadores, hoje iremos conhecer os aspectos gerais da América Platina. Se você é estudante do Ensino Fundamental e ainda não conhece este termo, estamos nos referindo a área correspondente ao território da Argentina, Uruguai e Paraguai. A relação existente entre essas nações estão enraizadas desde o período da colonização Espanhola na região do Rio da Prata.

Em vermelho Argentina - Amarelo Uruguai e verde Paraguai.

Um olhar histórico...
Quando os Espanhóis iniciaram o processo de ocupação do continente Americano, eles acreditavam que era possível encontrar metais preciosos, como a prata, no entanto, na área territorial da América Platina isso não se confirmou o que manteve por muito tempo esta região da América do Sul pouco explorada.
Nessa mesma região foi fundada pelo reino da Espanha o Vice- Reino do Rio da Prata, assim como feito em outras áreas do continente Americano. Sua criação se deu principalmente para manter a posse ou o domínio Espanhol daquela região que despertara o interesse de outras potencias como por exemplo: o Reino de Portugal que já atuava na costa leste da América do Sul, além das investidas da Grã Bretanha. Este foi o mais curto Vice Reino criado pela coroa Espanhola na América.
Um olhar geográfico...
Planícies, planaltos e cadeias de montanhas. São as principais formas de relevo encontradas na América Platina. As planícies se estendem desde o Chaco no Paraguai passando por todo o território Uruguaio e parte da Argentina. Na Argentina encontramos as exuberantes paisagens da Patagônia,assim como, o ponto mais alto do continente americano, o Pico Aconcágua, com 6.959 metros de altitude. Nessa extensão territorial (América Platina) predomina os climas tropical, subtropical, semiárido, Desértico, Frio de montanha e no extremo sul da Argentina o clima temperado.
Os principais rios que compõe a rede hidrográfica da Bacia Platina (4.500 km extensão) são: Rio Paraná, o Paraguai e o Uruguai que dão origem ao Rio da Prata. A economia gira em torno da pecuária, da extração vegetal e de alguns polos industriais.
Curiosidades ...
Entre os inúmeros conflitos que existiram no continente americano, o que mais ganhou destaque nas terras sul-americanas, foi a Guerra do Paraguai em 1864 que colocou de um lado o Brasil, o Uruguai e a Argentina, formando a tríplice Aliança, enquanto que do outro estava o Paraguai. O conflito foi motivado pela ambição de um governo ditatorial paraguaio que almeja ampliar seu território anexando parte do então estado do Mato Grosso e do Rio Grande do Sul, além de províncias Argentinas. O conflito só teve fim na batalha naval do Riachuelo e na luta em Uruguaiana.

Isso é tudo pessoal! Espero que tenham curtido um pouco de nossa “observação” de hoje. Continuem os estudos através de seu livro didático caso queira se aprofundar no assunto. Dúvidas, sugestões ou se quiser enviar fotografias para nossa galeria “Expedições geográficas” é só enviar um e-mail para o endereço no painel do blog ou uma mensagem no Facebook. Até a próxima!!!  

Pesquisa e finalização textual por Ronaldo Oliveira
Graduado em Geografia



Leia Mais ►

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

AMÉRICA ESPANHOLA E PORTUGUESA

LEITURA RÁPIDA
Portugal e Espanha dividiram a América entre si a partir do Tratado de Tordesilhas, que separava a América Portuguesa da América Espanhola. No entanto, o processo de colonização realizado por portugueses e espanhóis se diferenciou. Portugal investiu em um projeto mais espontâneo, ligado à produção agrícola, principalmente nos primeiros anos de colonização. Enquanto que a Espanha, por encontrar metais precocemente na América, investiu em um projeto minerador e de expansão e organização de cidades.

Além disso, o estilo dos traçados das cidades da América Espanhola era diferente das erguidas na América portuguesa.

Tratado de Tordesilhas - FONTE:Educa Já
Principais características da América Espanhola

  • ·         O principal intuito dos colonizadores espanhóis foi a mineração;
  • ·       Com a queda da atividade mineradora, a pecuária e a agricultura, passaram a ser as atividades básicas da América Espanhola;
  • ·       Na América espanhola os povos nativos eram escravizados  e forçados ao trabalho temporário nas minas, pelo qual recebiam um salário miserável.
  • ·       Os indígenas eram a maior população presente nessa parte do continente. Já a  população negra escrava, era pequena, e, foi usada como mão de obra, principalmente nas Antilhas.


Principais características da América Portuguesa

  • ·         Várias expedições de natureza exploratórias foram enviadas pelos portuguesas ao litoral brasileiro.
  • ·         A principal atividade econômica foi o extrativismo vegetal (Pau - Brasil) em 1501, o Rei de Portugal, deu a Fernão de Noronha ( que estava associado a comerciantes judeus) a primeira concessão para a exploração do Pau - Brasil;
  • ·         Criação de feitorias: postos de armazenamento de madeiras que seriam embarcadas para Portugal;
  • ·         Primeiros contatos com os habitantes da terra (ameríndios) e o início de um comércio a base de ttrocas (escambo);
  • ·         Presença de contrabandistas, principalmente franceses, no litoral brasileiro.

 A América Portuguesa, teve sua extensão territorial invadida diversas vezes por outros povos que até mesmo chegaram a fundar cidades como São Luiz do Maranhão fundada por Franceses e Recife pelos Holandeses.

Fontes Consultadas:

CYBERHISTÓRIA
HISTÓRIA DO BRASIL - LIVRO DIDÁTICO


Leia Mais ►

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

COMO FAZER UMA WEBQUEST

Antes de iniciarmos a construção de uma webquest, devemos entender primeiramente seu contexto. A webquest é uma metodologia de pesquisa criada pelos professores Bernie Dodge e Tom March, na San Diego State University, Estados Unidos – em que "Web" significa rede e se refere a World Wide Web e "Quest" quer dizer pesquisa, exploração ou busca. (SENAC, 2005)
O objetivo é proporcionar aos alunos a possibilidade de aprender determinados conteúdos por meio da utilização de novas tecnologias. 
Para criar uma webquest deve-se seguir uma estrutura que pode ser estabelecida pelo próprio professor. No entanto, logo abaixo segue o modelo "padrão" utilizado como "caminhos a ser percorrido".



1 - INTRODUÇÃO - Na introdução deve-se apresentar de forma sucinta o tema a ser trabalhado, assim como uma breve explanação das atividades que serão trabalhadas. Lembre-se que essa etapa é muito importante por ter um caráter de instigar os alunos quanto a temática. Procure utilizar uma linguagem padrão e que desperte o interesse dos alunos.  
2 - TAREFA - A tarefa é o ponto crucial da webquest, pois nessa seção, serão planejadas as atividades a serem desempenhadas pelos alunos, contudo não se prenda a metodologias já utilizadas em sala de aula, inove dentro do possível e não esqueça de indicar as ferramentas (softwares/programas) entre outros. 
3 - PROCESSO - O processo se refere aos caminhos que os alunos deverão trilhar para executar as tarefas propostas pelo professor, assim como o papel de cada um na realização da atividade. ex. forme grupos; 
4 - FONTES DE INFORMAÇÃO - Aqui você irá elencar as fontes a serem utilizadas para subsidiar a tarefa. Procure sites oficiais que tratem do assunto abordado. 
5 - AVALIAÇÃO - Nessa parte você deve indicar as formas que utilizará para avaliar a participação dos alunos na execução da webquest. Seja claro!
6- CONCLUSÃO - Na conclusão deve constar os resultados obtidos com a tarefa e se os objetivos foram alcançados.
7 - CRÉDITOS - Como o próprio nome já diz. É onde deve constar as fontes de todos os materiais utilizados na realização da Webquest. Assim como, agradecimentos a quem de certa forma colaborou na execução da atividade.

Pronto! Siga esses passos e mãos a obra!

Postado por Ronaldo Oliveira
Referências
SENAC On line. . Acesso: 14 dezembro. 2016. 
Leia Mais ►

terça-feira, 1 de novembro de 2016

A DIVERSIDADE GEOGRÁFICA DA TERRA

Neste artigo, produzido pela equipe de redação do Observatório Histórico Geográfico abordaremos os elementos que tornam o planeta terra tão rico em diversidade, para isso, iremos fazer uma breve síntese sobre o relevo e o clima, as águas, os solos e a vegetação. Por fim faremos um breve comentário acerca dos espaços de povoamento do planeta. Para uma melhor compreensão de como esses fatores funcionam é importante observarmos a inter-relação existente entre eles.
Boa leitura!


Um mundo de diversidade que até agora não foi descoberto em nenhum outro, sim, esse é o nosso magnifico planeta azul. A terra possui milhões e talvez bilhões de espécies que povoam os mais inusitados ambientes, mas para essa dispersão de seres vivos pelos diversos espaços terrestres é necessário que haja as condições perfeitas ou pelo menos razoavelmente favorável para seu desenvolvimento.


RELEVO E O CLIMA

Neste contexto destacaremos a diversidade de domínios naturais em especifico o relevo e o clima. Esses dois fatores aliados a outros que destacaremos mais adiante são responsáveis por transformar a paisagem geográfica. Para que se torne mais claro vamos observar a gênese do relevo começando pela Crosta terrestre. A costra é a camada superficial que está exposta a ação de diversos elementos como a água, o clima e a vegetação etc. todos esses elementos são condicionantes para que exista diferentes formas de relevo. Mas, não podemos destacar apenas o elementos externos, sabemos que no interior da terra existe outras forças em atuação que também são capazes de modelar o relevo entre elas podemos citar os terremotos, o vulcanismo e a própria movimentação das placas tectônicas sobre este último fator podemos exemplificar usando a cordilheira do Andes formada pelo choque de duas placas tectônicas.
Os principais tipos de relevo são: Planícies (terras baixas em relação ao nível do mar), Planaltos (terras elevadas em relação ao nível do mar), depressão (áreas baixas devido ao desgaste erosivo).
Quanto ao clima podemos observar uma grande variedade distribuída em diferentes regiões do planeta. O clima pode ser entendido como o comportamento das condições da atmosfera somado a incidência da radiação solar em determinada área. Os tipos de relevo e a presença de água na superfície interferem nas condições climáticas que atuarão sobre determinada região, mas outros fatores como as massas de ar e a posição geográfica referindo-se agora a latitude também são responsáveis por essa dinâmica climática. No Brasil encontramos pelo menos 7 tipos de climas e no mundo 10 (köpen).
É comum ouvirmos cotidianamente alguns equívocos como “Como está o clima hoje?” nesta perspectiva refere-se ao tempo (escala menor), o clima é utilizado para designar as condições atmosféricas que atuam por um longo período em determinada região (escala maior).

Para se aprofundar mais no conteúdo visite os artigos:


AS ÁGUAS E OS SOLOS


O termo planeta azul faz referência a grande quantidade de água presente nos oceanos da Terra que por sua vez interferem e sofrem influência de fatores climáticos. Mas não vamos relatar aqui a dinâmica oceânica e sim as águas superficiais presentes nos continentes, os rios.
Os rios são águas correntes que afloram (nascem) dos lençóis subterrâneos, essas águas escorrem pela superfície graças aos tipos de relevo presentes no decorrer de seu curso. Os rios podem desembocar tanto nos mares e oceanos quanto em um rio maior da bacia hidrográfica a qual pertence.
As bacias hidrográficas são formadas por um conjunto de rios menores que desembocam em um rio principal, no Brasil podemos citar as Bacias do São Francisco, Platina e a maior de todas Amazônica.
O clima também interfere nos rios, pois ele é quem vai determinar sua vazão.

SOLOS


Podemos compreender o solo como uma fina camada presente sob a crosta terrestre. Esta camada é resultante da desagregação das rochas por meio do processo de intemperismo ou seja pela ação da água, e também pela ação das altas temperaturas presentes nos períodos de seca. Pra que esse processo torne o que antes era rocha requer muito tempo. Todos esses fatores são responsáveis pelos diferentes tipos de solos.
Esses solos são formados em camadas que os classifica em: solos recentes, jovens e maduros.

Para se aprofundar mais no conteúdo visite os artigos:


VEGETAÇÃO


Para entendermos como está distribuída a vegetação mundial temos que levar em consideração os elementos que estudamos anteriormente: os tipos de solo, de relevo, a influência climática e a quantidade de água entre outros.

A vegetação é encontrada em quase todas as regiões da terra, salve algumas exceções. Vamos por parte, nas regiões polares não encontramos vegetação devido ao solo está totalmente recoberto pelo gelo e pouca incidência de luminosidade, mas se voltarmos um pouco nas regiões de clima temperado notaremos a presença de formações vegetais importantes, porém que não se comparam a exuberância do tipo de vegetação encontrada nas regiões mais quentes do planeta onde estão presentes as florestas tropicais ricas em diversidade. ´
É importante ressaltar que em regiões de clima quente e de baixa umidade, a vegetação encontra dificuldades para se desenvolver e propagar-se naquele espaço. Como ressaltado anteriormente a vegetação para se desenvolver sofre a influência de outros fatores naturais.
Não poderíamos encerrar está parte sobre vegetação sem falar sobre o desmatamento das florestas. No Brasil, diversos tipos de vegetação vem sendo exterminadas por meio da ação ilegal e até mesmo irracional do homem. Em regiões de clima semiárido como no Nordeste a vegetação nativa da Caatinga foi praticamente quase dizimada em boa parte dos estados, assim como a Mata Atlântica no litoral brasileiro e a Floresta Amazônica no Norte do Brasil vem sofrendo com as queimadas, e a ação ilegal de madeireiras que derrubam as árvores visando apenas o lucro.
Falar em mudanças climáticas é relativamente complicado, pois sem comprovação cientifica fica apenas no campo do senso comum, mas seguindo uma linha de pensamento já muito disseminada entre estudiosos, a derrubada da floresta resulta na diminuição de chuvas em outras regiões, será que vale apena transformar elementos vitais a vida no planeta em dinheiro? É uma pena que poucos refletem sobre isso, e quem realmente tem força e o poder de mudar isso, simplesmente parece não dá a mínima.

Para se aprofundar mais no conteúdo visite os artigos:


ESPAÇOS DE POVOAMENTO DO PLANETA


Sem sombra de dúvida os espaços de povoamento do planeta contrastam com as antigas civilizações que já habitaram o habitaram. Na antiguidade as áreas de povoamento estavam diretamente ligados a proximidades de grandes fontes de água como no caso do Egito e da Mesopotâmia, entretanto, com o passar dos séculos a humanidade passou a ver o mundo por outros ângulos.
A busca por melhores localidades para povoar foi um deles, e nesse contexto estão inseridos os tipos de solo, o clima, a quantidade de água acessível enfim, elementos que possam garantir boas condições de vida.

Se pegarmos um mapa e observarmos a distribuição dos espaços de povoamento notaremos que a população da Terra não está distribuída igualmente em todas as partes do globo. Ao contrário, há excesso de gente em algumas regiões e falta em outras. Vejamos no gráfico abaixo como está distribuída a população nos continentes: 
____________________
Artigo produzido pelo OHG

Leia Mais ►

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Ministro quer reformulação no currículo do ensino médio

Os resultados são uma catástrofe para nossa juventude”, afirmou o ministro.


Não é de hoje que a educação brasileira vem pedindo socorro e isso ficou mais evidente com o resultado do ideb revelado pelo ministro da Educação, Mendonça Filho, na última quinta-feira (8). De acordo com o mesmo os resultados são uma catástrofe e ele já cogita pedir urgência na tramitação do Projeto de Lei 6840/2013, que institui a jornada integral e altera o currículo do ensino médio que apresentou os resultados mais baixos do índice de desenvolvimento da educação básica (Ideb).
Em síntese o  Ideb é um indicador que relaciona o desempenho dos alunos com dados de fluxo escolar. O estudo é realizado a cada dois anos pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), e avalia alunos do ensino fundamental da rede pública e do ensino médio de escolas públicas e privadas.
O que talvez tenha chocado a todos é que os baixos índices também se referem as escolas privadas e como o próprio ministro expressou “São índices absolutamente vergonhosos para o Brasil. É uma tragédia para a educação do país”, resumiu.

Fonte:MEC
Leia Mais ►

terça-feira, 26 de julho de 2016

DOBRAMENTOS MODERNOS E ANTIGOS

FONTE DA IMAGEM :soumaisenem 
Podemos classificar como dobramentos modernos as estruturas originadas no período Terciário provenientes do deslocamento das placas tectônicas que provocam o soerguimento do relevo originando assim as cadeias montanhosas como por exemplo a cordilheira dos Andes na América do Sul, e a Cordilheira do Himalaia, na Ásia, onde se encontra o Monte Everest.
Na figura ao lado podemos ver que no atrito entre duas placas, uma delas entra por baixo, levantando (dobrando) a outra. Logo, estes dobramentos modernos são regiões elevadas (picos, montanhas, cordilheiras).
São chamados assim, pois se observarmos o ponto de vista do tempo geológico, os dobramentos modernos se originaram recentemente com cerca de 250 milhões de anos desde o início de sua formação. Essas estruturas são encontradas em regiões de relativa instabilidade geológica graças ao fato de se originarem do choque e interação entre duas placas tectônicas.
Já os dobramentos antigos, datam do período Pré-Cambriano (mais de 550 milhões de anos), devido a isso apresentam-se bem erodidos e são mais baixos que os dobramentos modernos.
Exemplos dos dobramentos antigos são : Montanhas Caledônicas (Escócia), Montes Apalaches (EUA), Serras do Mar, Mantiqueira e do Espinhaço (Brasil) entre outros.



Referências 

CAPÍTULO 5- ESTRUTURA GEOLÓGICA DO BRASIL 
disponivelem: http://www.aridesa.com.br/servicos/click_professor/leonam_jr/2ano/CAPITULO5_ESTRUTURA_GEOLOGICA_DO_BRASIL.pdf
A ESTRUTURA GEOLÓGICA, RELEVO E SOLO disponível-  em http://www.miniweb.com.br/Geografia/Artigos/geologia/PDF/provao_geo_ens_medio.pdf


Leia Mais ►